Azulejos do Porto . Postais de azulejos

Postal ilustração de azulejos do Porto.

Dimensões: 10x15cm
O valor não incluí o envelope
O postal encontra-se pronto para expedir em 1-2 dias úteis.

2,50

Postal ilustração de azulejos do Porto.

Dimensões: 10x15cm
O valor não incluí o envelope
O postal encontra-se pronto para expedir em 1-2 dias úteis.

Neste link consulte toda a colecção de postais de azulejo do Porto.

Ilustração com um dos azulejos que forram as fachadas de muitos edifícios da cidade do Porto.

As nossas ilustrações representam de forma fiel as cores e os desenhos de alguns dos azulejos que pode encontrar enquanto passeia pelas lindas ruas do Porto.

A azulejaria é um componente importante da cultura Portuense. Pequenos azulejos coloridos dão vida às cinzentas paredes das casas e igrejas do Porto.

No século XIX a aplicação dos azulejos nas fachadas foi em muito impulsionada por influência de emigrantes brasileiros que gostavam de revestir as suas casas com este material. A indústria da cerâmica, floresceu na cidade do Porto e em Vila Nova de Gaia com destaque para os desenho em relevo que são uma característica dos azulejos da região norte.

Por ser uma boa forma de proteger as fachadas das casas da humidade e pela alta resistência foi uma opção muito vulgar na construção do início do século. O harmonioso conjunto de granito e azulejo que se encontra na cidade do Porto contribuiu em muito para a imagem que hoje tem a cidade.

Uma das representações mais emblemáticas da história e da cultura do Porto são os belos azulejos que vemos espalhados por toda a cidade.
Os painéis mais impressionantes da cidade são azuis e brancos, representando cenas religiosas; mas há uma miríade de padrões, motivos e cores nos azulejos do Porto, a serem descobertos pelos olhares mais atentos. Foi D. Manuel I que trouxe os azulejos de Sevilha, em Espanha, durante o século XV. Os azulejos eram muito comuns em diversas partes da Península Ibérica dominadas pela expansão islâmica durante a idade média. De facto, a palavra azulejo vem da palavra árabe al zellige que significa “a pedra polida”.
Portugal importou os seus azulejos de Espanha, Itália e Holanda até os próprios portugueses dominarem a arte durante o século XVI. Em Portugal, a produção de azulejos desenvolveu a sua própria linguagem, passando de formas geométricas e vegetais para painéis que contam histórias, principalmente de natureza religiosa.
Num dos locais mais históricos do Porto pode encontrar o Banco de Materiais, criado pela Câmara Municipal do Porto em 2010. O objectivo do Banco de Materiais é preservar e exibir muitas peças decorativas e de construção do Porto que contam a história da cidade e da sua arquitetura. No Banco de Materiais encontrará azulejo, peças de ferro, pedras decorativas e muito mais, numa verdadeira viagem no tempo.