Mapa vintage do Porto (em 1833)

Poster impresso em fine paper, disponível em diferentes formatos, com uma ilustração figurativa ao estilo vintage, baseada num planta da cidade do Porto do século XIX. O autor será Vidal, F. Perry e a imagem original terá sido impressa em 1865.

A moldura não está incluída.
A ilustração encontra-se pronta para expedir em 1-2 dias úteis.

16,0050,00

Limpar

Poster impresso em fine paper, disponível em diferentes formatos, com uma ilustração figurativa ao estilo vintage, baseada num planta da cidade do Porto do século XIX. O autor será Vidal, F. Perry e a imagem original terá sido impressa em 1865.

A moldura não está incluída.
A ilustração encontra-se em stock e está pronta para expedir em 1-2 dias úteis.
Neste link consulte toda a colecção de ilustrações do Porto.

Nesta página encontra mais informações úteis sobre a cidade.

—-

Em 1807, as tropas francesas de Napoleão invadem o país. O rei D. João VI refugia-se no Brasil, aconselhando os portugueses a receber os invasores como amigos. A segunda invasão francesa foi a mais penosa para os portuenses. O ataque das tropas dá-se no dia 29 de Março. Os seus habitantes, assustados com a aproximação das tropas francesas, ao fugir, precipitam-se sobre a ponte que unia as margens do Douro. A ponte de madeira, sobre barcas, rompe-se e uma verdadeira multidão cai ao rio. Centenas sucumbiram nesta tragédia. Nos dias seguintes os franceses saqueiam a cidade até fugirem em debandada do exército inglês.

Em 1811, os franceses são completamente repelidos do país. D. João VI regressa ao trono português.

Em 1826, D. Pedro IV, outorga a Carta Constitucional, e os miguelistas insatisfeitos, contribuem para lançar o país numa guerra civil.

Em 1828, D. Miguel chega ao poder. O Porto revolta-se imediatamente. As revoltas liberais sucedem-se, mas só com a adesão de D. Pedro ao movimento, este ganha verdadeira consistência.
A 8 de Julho de 1832, D. Pedro desembarca em Pampelido, para tomar a cidade do Porto. A população simpatiza com os liberais. Os confrontos entre absolutistas e liberais duraram dois anos deixando a cidade completamente arruinada. Foram tempos de horror e carnificina. A peste, a fome e a guerra provocam horríveis destroços nos habitantes do Porto. O cerco termina com a vitória dos liberais e a aclamação de D. Maria II, como Rainha de Portugal.

Em 1856, a Febre Amarela chega ao Porto, causando a morte a grande número de população.
Ao longo de todo o período da Regeneração, uma figura destaca-se, Fontes Pereira de Melo. O fontismo no Porto correspondeu a um período de grande progresso. Mas, por ironia, é a própria cidade que vai derrubar o político.

Os anos que se seguiram à revolta não foram favoráveis ao Porto. Os bancos perdem capacidade de emitir moeda e, em 1899, a cidade é invadida por uma peste bubónica.

A 100% Portugal
Ilustrações e fotografias representativas dos ex-libris da cidade do Porto e arredores.
Nasceu a partir de uma ideia de criar produtos que representassem de alguma forma o nosso país e a nossa cultura. Assim nasceu a forma de estar 100% PORTUGAL!

Formato

, , , ,